• Débora Marquetti

Segurança das redes: O que podemos apreender com o case da Americanas


Você já sofreu com alguma instabilidade em algum site? Ou entrou na sua loja preferida e o servidor estava fora do ar? Hoje vamos abordar um case recente, o da Lojas Americanas. Antes de qualquer coisa, vamos contextualizar: No dia 19 de fevereiro os servidores das lojas Americanas (que engloba Submarino e Shoptime) apresentaram instabilidade, resultando, no dia 20, na queda do site, impedindo qualquer operação via e-commerce. A consequência foi devastadora para a empresa, que só viu seu servidor retornar no dia 23 de fevereiro. Segundo a Economatica, o prejuízo da ação do hacker já alcança R$ 3,48 bilhões em valor de mercado.


A queda inclusive repercutiu na ação do BBB, onde o apresentador Tadeu Schmidt, não convidou o público a acessar o site ou aplicativo da marca via QR Code. Mas não é a primeira vez que acontece isso com grandes empresas: no ano passado o e-commerce da Renner sofreu o mesmo ataque. E o que isso nos ensina? Para nós que trabalhamos diariamente com redes sociais e comunicação, é importante estar ciente com o cliente sobre: segurança das redes.


Alguns pontos sobre segurança que é possível mudar na rotina:


1 - Para grandes companhias e contas, investir em uma equipe especializada em cibersegurança.

2 - Investir em capacitação profissional do time interno de TI.

3 - Possuir um plano de ação rápido e eficaz no quesito de segurança de redes.

4 - Evitar abrir e-mails e anexos desconhecidos.

5 - Utilizar verificação de dois fatores no Instagram.

6 - Não permanecer muito tempo com a mesma senha, e sim, mudar a cada três meses nas redes sociais.

7 - Em suas senhas não colocar nome, data de aniversário e outras informações pessoais.

8 - Usar pontuações diversas e números em sua senha.


Como está a segurança das suas redes? Deixe aqui nos comentários!

2 views0 comments